Entrevista Voltalia

Com Robert Klein, CEO da Voltalia no Brasil



1. É um conjunto de informações. Trabalhamos hoje na região de distanciamento social impactaram este mercado e de que forma isso foi gerido?

2020 foi um ano adverso para as empresas no mundo todo. Dar continuidade e manter a qualidade dos serviços de O&M, mesmo durante um cenário de incertezas causado pela pandemia da Covid-19, foi desafiador. Implementamos diversos protocolos de saúde e segurança, seguindo as orientações da Organização Mundial de Saúde (OMS), especialistas da área e autoridades locais, com objetivo de garantir a saúde dos trabalhadores. Paralelamente, adotamos medidas de trabalho remoto sem perder a integração dos times.


O resultado foi muito positivo, pois os serviços de energia não foram afetados e conseguimos uma boa sinergia entre os profissionais de campo e o que estavam trabalhando remotamente. O sucesso é fruto de um trabalho incrível realizado constantemente por uma equipe determinada e altamente qualificada.

2. Que protocolos são necessários para assegurar bons resultados em 2021? Quais as principais lições aprendidas no ano anterior e de que fora aplicar elas com bons resultados no atual cenário?


Desde o início da pandemia, estabelecemos medidas de saúde e segurança e deixamos claro que tanto a Voltalia quanto as empresas contratadas para nossos projetos deveriam seguir as medidas de saúde e segurança adotadas. Além disso, durante todo esse período, um time de emergência multidisciplinar monitora as equipes e acompanha o cenário no país e nas cidades onde atuamos. O resultado, até agora, é bastante positivo com um baixo índice de contaminação em nossos ativos e escritórios.

Graças às medidas adotadas e ao engajamento de todos os trabalhadores, conseguimos finalizar importantes projetos mesmo durante a pandemia. O melhor exemplo é o Centro de Operações que começou a operar no segundo semestre de 2020. Desta forma, vamos continuar seguindo os protocolos adotados ao longo do ano passado, visando alcançar resultados ainda melhores em 2021, mas sem perder o foco na saúde e segurança de todos os envolvidos em nossos projetos, bem como da comunidade local.

3. Quais as principais diferenças entre o mercado brasileiro e o mundial nesse sentido? Que lições temos a aprender – e quais eventualmente a ensinar – pensando em um contexto global do setor?


O cenário da pandemia da Covid-19 afetou todo o mundo, mas alguns países adotaram medidas mais rigorosas mesmo para os serviços essenciais. Em algumas regiões fora do Brasil, serviços de manutenção preventiva, por exemplo, foram impactados pelos rígidos protocolos de distanciamento. Porém, aqui foi diferente e ao mesmo tempo desafiador.


Aprendemos e estamos aprendendo muitas lições com a pandemia. Porém, ressalto que manter a conectividade, mesmo com todo o distanciamento, foi uma das melhores e mais valiosas lições. Em quase um ano no “novo normal”, não perdemos a sinergia entre as nossas equipes.


4. Dentre as mudanças trazidas com a pandemia, qual foi aquela que vocês acreditam que veio para ficar e – tão logo este momento seja superado – deve tornar-se em uma nova melhor prática para o setor?

A pandemia da Covid-19 trouxe variados impactos à vida das pessoas e das empresas de todo o mundo, forçando adaptações e aprendizados para o “novo normal”. Em meio ao contexto desafiador de distanciamento, por exemplo, nossa equipe ficou ainda mais unidade e engajada em ações sociais voluntárias, visando mitigar os impactos da Covid-19 na vida de milhões de brasileiros.

A pandemia reforçou o que nós, da Voltalia, já praticamos há muito tempo: a preocupação com a sociedade, o pensar coletivamente e, consequentemente, a importância de projetos e ações sociais nas comunidades. 2020 foi um ano em que reforçarmos ainda mais a nossa missão enquanto empresa: melhorar o ambiente global, promovendo o desenvolvimento local. Esperamos que esse aprendizado fique como legado para toda sociedade.





1 visualização0 comentário