Diagnosticar problemas nos sensores de vento no alto dos aerogeradores - AGSOLVE


  1. Os sensores de vento dos aerogeradores precisam ser alinhados em seu eixo Norte com frequência? Não. Há diversos modelos de montagem nos sensores FT Tech. Em uma delas a FF ( "Face Front") é uma instalação fixa em uma barra, fixo por parafuso passante nesta. Estando a barra alinhada com a Nacele o sensor também estará. Para outras montagens, é recomendado o alinhamento dos sensores de tempos em tempos de acordo cm as manutenções definidas pelo fabricante da turbina ou definido operador do parque. Choques com naves, abrigo de insetos entre outras condições de operação pode exigir uma manutenção corretiva não planejada.

  2. Para os sensores de vento dos Aerogeradores, onde está o Norte? Para os sensores de aerogeradores, estando fixos à nacele a referência é sempre o eixo da nacele. Para estes sensores para estas aplicações há maior sensibilidade nas leituras de direção Zero e +/- 10 graus quando comparados às outras direções, tendo como foco uma leitura a mais correta possível.

  3. Instalados na parte de trás da nacele, qual o erro na medição? Os desenvolvedores de turbinas definem o local de instalação dos sensores de vento na nacele e tal ponto não pode ser alterado sem prejuízo ao desempenho da máquina. Nesta definição já são considerados todos os problemas de turbulência no sensor.

  4. Quando tenho dúvida dos resultados medidos em um sensor específico, como devo proceder? Para os sensores FT tech há dois kits de testes, um para sensores com saída analógica, e outro para saída digital RS485. Tais kist são compostos de fonte de energia para os sensores, cabo de comunicação para conexão USB A e software de uso em sistemas Windows. A conexão do sensor no kit de testes já pode indicar de forma rápida se há algum dano elétrico no sensor com base no teste de funções (medição da velocidade e direção do vento). Se o problema for ainda mais complexo o indicado seria contatar o representante local (Ag Solve Mon. Ambiental ) ou diretamente a fábrica.

  5. Como posso saber se o sensor do parque eólico é analógico tem saída analógica ou digital? O melhor é consultar a documentação da turbina em questão. Porém se o sensor for uma peça da FT Tech, basta verificar o conector na base do sensor. Se forem visíveis 5 pinos de conexão elétrica, é um sensor de saída digital, no entanto se for um sensor de 8 pinos de conexão elétrica, será um sensor de saída analógica.

  6. Se as turbinas do parque utilizam um sensor específico que não seja FT Tech, posso substituí-lo por outros sensores? Cada fabricante de turbina certifica o equipamento para uso de um controlador específico e um ou mais tipos de sensores. Para trocar o fabricante do sensor de vento será necessário verificar se o controlador da turbina será capaz de energizar este novo sensor, definir sua posição e corrigir os códigos do controlador. Consulte o fabricante da turbina para saber se um determinado sensor é compatível com a turbina e o controlador.

  7. A calibração dos sensores FT Tech ocorre por lote ou individualmente? Todos os sensores FT Tech, independente da aplicação, são calibrados individualmente em túnel de vento. Recentemente todas as calibrações são automatizadas em túnel de vento calibrado metrologicamente.

  8. Todos os sensores de Vento FT Tech são iguais? O que preciso saber para colocar a ordem de compra de sensores? Para cada fabricante de turbina eólica há uma especificação técnica própria, resultado de testes e aprendizado. Para compra de sensores é necessário indicar o "Serial Number" do sensor que originalmente opera naquela turbina ou documentar fabricante e modelo da turbina.

  9. Há algum problema de uso destes sensores em localidades quentes como no Nordeste, ou frias como o Rio Grande do Sul? Os sensores FT Tech estão aptos a operar de -40°C à +85°C, em altitudes como -300 à 4.000 m de altitude. Operando nas condições que foram especificados, corretamente instalados, os sensores vão operar de forma adequada em qualquer ambiente do território nacional ou internacional.

  10. Para instalação e operação há algum preparo que os sensores devam receber? Quando substituímos um sensor de vento, seja por dano ou falha no anterior, antes de instalarmos o novo sensor o recomendado seria uma análise técnica do problema. Falta de aterramento, falha na alimentação, tensões induzidas em abos mal protegidos na nacele podem ser algumas das causas que levaram ao dano do sensor e se não forem corrigidas provavelmente os problemas se repetirão com o novo sensor.

  11. Como posso obter as leituras dos sensores de vento nos aerogeradores? Nos aerogeradores os dados de sensores e o controle é exercido pelo controlador instalado na Nacele. Após a interpretação dos resultados e transmissão para o gerenciador do sistema SCADA. Desta forma, apenas o controlador lê os sensores, porém estes podem ser também acessados pelo SISTEMA SCADA se os dados forem exportados pelo Controlador.


Por: Mauro Banderali Diretor Técnico Ag Solve Mon. Ambiental Ltda.

22 visualizações0 comentário