Como a escola pode contribuir para a qualidade de vida infantil?




O maior objetivo da escola é contribuir com a sociedade a partir da formação integral das novas gerações. Sua tarefa, portanto, envolve atenção a todos os aspectos que configuram o processo de aprendizagem e desenvolvimento da criança, incluindo a promoção da saúde, do bem-estar e da qualidade de vida infantil.


Faz-se necessário enfatizar que a educação compreende muito mais do que apenas o acesso ao ensino de conteúdos curriculares específicos, tais como matemática, português etc. Por sua vez, saúde e qualidade de vida são questões igualmente multidimensionais — cujos significados ultrapassam a mera prática de exercícios físicos e alimentação balanceada —, e que se mostram determinantes para a efetividade do aprendizado.


Se a educação tem como principal função preparar os alunos para a vida em toda a sua amplitude (física, cognitiva, cultural e socioemocional), as escolas adquirem o dever de contribuir para qualidade de vida das crianças por meio de uma abordagem cotidiana, integrada e transversal.


Para saber mais sobre o conceito de qualidade de vida infantil, sua importância dentro do processo educacional e como a escola pode ajudar a fomentá-lo entre os alunos, continue a leitura deste post!


O que significa qualidade de vida e qual é a sua importância para a educação?

A definição de qualidade de vida, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é a seguinte: “percepção do indivíduo sobre sua posição na vida, no contexto da cultura e sistemas de valores nos quais ela vive e em relação aos seus objetivos, expectativas, padrões e preocupações”.


Assim, a qualidade de vida está intimamente relacionada ao conceito de saúde em sua integralidade, ou seja, compreende o bem-estar físico, mental, psicológico, emocional, social e espiritual dos indivíduos, proporcionados pelas condições ambientais, instituições, relações sociais, práticas culturais, segurança, lazer, educação, cuidado pessoal, entre outras circunstâncias da vida.


A falta de acesso a uma rotina equilibrada e saudável em todos os níveis, prejudica diretamente o desenvolvimento e o aprendizado infantil. Vale lembrar que escola e família são as principais instituições sociais de defesa e cuidados com a infância, e como tais, são responsáveis pelo incentivo e pela melhoria da saúde e da qualidade de vida das crianças.


De que forma a escola pode contribuir para a promoção da qualidade de vida infantil?

Já vimos o quanto a garantia do bem-estar infantil é fundamental para que o processo educacional aconteça de maneira efetiva. Resta saber como as instituições de ensino podem colaborar e agir nessa direção. Para tanto, confira algumas dicas de pontos que merecem atenção especial!


Estreitar vínculos entre família e escola

A parceria entre o colégio e as famílias contribui diretamente para a criação de hábitos saudáveis e melhora na qualidade de vida infantil. É muito importante que haja esse diálogo e, principalmente, concordância entre as partes em relação a valores, regras, práticas e ensinamentos que são passados aos pequenos.


As escolas devem incentivar a participação dos familiares no dia a dia da escola, abrindo múltiplos canais de comunicação. Encontros periódicos, workshops e campanhas são ótimos exemplos para o fortalecimento de vínculos com a comunidade.


Oferecer acompanhamento psicológico aos alunos e seus pais também é uma ação relevante, que pode ajudar na identificação e na resolução de problemas familiares que podem estar afetando negativamente o desempenho escolar das crianças.


Estimular a interação social

Como visto, as instituições de ensino têm o papel de promover a socialização e a cidadania entre as crianças, uma vez que elas não só representam, como serão as responsáveis pelo futuro de nossa sociedade.


É preciso construir um ambiente propício para relações interpessoais sadias, respeitosas, empáticas e colaborativas. Para isso, as habilidades socioemocionais devem ser trabalhadas com constância no espaço escolar, de forma a apoiar os alunos na gestão das próprias emoções e no convívio com os colegas.


Possibilitar contato com o meio ambiente

Atividades que envolvem o meio ambiente geram inúmeros benefícios à saúde física, mental e emocional das crianças. Ao interagirem diretamente com os elementos naturais, os alunos têm a oportunidade de entender mais sobre si e sobre o sentido de interdependência entre todas as formas de vida.


Além disso, estar em meio à natureza promove equilíbrio interno, ajuda a atenuar emoções negativas e a prevenir problemas psicológicos, que prejudicam a qualidade de vida infantil — tais como estresse, ansiedade e até depressão.


Identificar possíveis transtornos infantis

Para prevenir problemas, é essencial efetuar um monitoramento não só da saúde física da criança, mas também de sua saúde psíquica e socioemocional.


Sintomas como queda brusca no rendimento, falta de vontade de ir à escola ou de fazer as tarefas podem indicar problemas de aprendizagem derivados de questões orgânicas, emocionais ou de relacionamento. De qualquer maneira, a prevenção por meio de acompanhamento médico, atenção dos agentes escolares e diálogo com os pais é a melhor forma de intervir rapidamente e buscar soluções adequadas para cada caso.


Investir em melhorias na estrutura da escola

A rotina de uma instituição de ensino envolve mais do que aquilo que acontece na sala de aula e na relação entre professor e aluno, ou seja, toda a estrutura escolar educa e contribui para o bem-estar dos indivíduos que compartilham aquele espaço.


Assim, é preciso prezar pela qualidade dos serviços oferecidos: alimentação, limpeza, jardinagem, atendimento, manutenção, gestão de resíduos, entre outros. Ambientes confortáveis, lúdicos, criativos e espaçosos, que estimulem as relações interpessoais, podem resultar em alunos mais engajados, motivados e em progressos notáveis na aprendizagem.


Encorajar os processos de autoconhecimento e de autocuidado

Autoconhecimento e autocuidado são duas palavras-chave quando nos referimos à saúde, ao bem-estar e à qualidade de vida infantil. Crianças que são encorajadas a conhecerem mais sobre elas mesmas (sobre o próprio corpo e a mente) e que compreendem que o cuidado pessoal caminha lado a lado com a autoaceitação, certamente crescerão mais felizes e estabelecerão relações mais saudáveis.


É de fundamental importância que as escolas promovam ações que estimulem o desenvolvimento das competências socioemocionais. O Programa Escola da Inteligência tem como intuito desenvolver a educação socioemocional no ambiente escolar. Sua metodologia prevê, por meio da educação das emoções, a melhora nos índices de aprendizagem e na qualidade de vida infantil.



Fonte: Escola da Inteligência - Educação Socioemocional

9 visualizações0 comentário